MINHA RELIGIÃO É MELHOR DO QUE A SUA

“A FINALIDADE DA RELIGIÃO”

 “Nem todo aquele que diz a mim: ‘Senhor, Senhor!’ entrará no Reino dos céus, mas somente o que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus” – Mateus 7, 21

Terça-feira desta semana estive no banco. Nas poltronas da frente duas mulheres conversavam dizendo sobre o empenho que tinham e falavam de novas estratégias para conseguirem novos membros para a igreja em que congregam. Como o assunto estava interessante, redobrei a atenção; em determinado momento ouço uma delas soltar esta pérola: “quem não está na religião verdadeira não tem salvação”. Pergunto-me: qual a religião verdadeira? Qual a finalidade primeira da religião?

A palavra religião tem sua origem no latim RELIGIO, que no conceito antigo significava “reverência pelos deuses, respeito pelo que é sagrado”. Essa origem é discutida, apresentando-se entre outras o verbo latino RELIGARE, de RE + LIGARE que significa “atar firmemente”: de RE-, intensificativo, mais LIGARE, “unir, atar”, pelo sentido de “atender a uma obrigação” ou mesmo “laço entre o ser humano e o divino”. Entende-se que a religião liga o homem a Deus; que ela seja um instrumento que ajude no equilíbrio das pessoas, ajudando-as a ultrapassarem limitações, mas a finalidade primeira da religião é dar a Deus o culto que lhe é devido e, para isso, primeiramente deve haver dentro da pessoa o entendimento de que Deus pode não estar na religião; mas que a religião pode estar em Deus!

Quando nossa religião cristã nos dá suporte para conhecermos a Deus; quando ela não nos aprisiona, mas nos liberta; quando ela é fundamentada em Jesus Cristo e quando a proposta dela é a de fazer com que as pessoas possam dar a Deus a honra e a adoração que Lhe são devidas, aí sim nossa religião cumpriu sua finalidade; porém, quando a religião segrega; quando ela afasta as pessoas umas das outras; quando a religião não ajuda o processo de transcendência, então, nesse caso, ouviremos ressoar as palavras do Salvador Jesus: “Nem todo aquele que diz a mim: ‘Senhor, Senhor!’ entrará no Reino dos céus, mas somente o que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus” – e a vontade de Deus é ser adorado e amado (cf. João 4, 23) e também que nos amemos uns aos outros (cf. Gálatas 5, 14)! Pense nisso! Que sua semana seja cheia do sentido de Deus!

 

Pela Fé! – Dom Pedro Paulo Teixeira Roque – Bispo Coadjutor de Jundiaí, SP – ICAB. e-mail: dompedropaulo@uol.com.br    –    tel. 19 – 9.9996-0607