SOBRE O QUE A INTOLERÂNCIA ESCONDE

 “… e disseram a Jesus: ‘Mestre, esta mulher foi surpreendida em ato de adultério. Na Lei, Moisés nos ordena apedrejar tais mulheres. E o senhor, que diz?” – João 8: 4 e 5.

 

O mundo globalizado, tecnológico; religioso, cristão ou não, foi surpreendido nesse fim de semana passado, com a mais clara demonstração do que é a intolerância. Em Charlottesville, Virgínia, nos Estados Unidos, um show desmotivado de razão mostrou episódios de intolerância, violência, racismo e tragédia. Pessoas que se agridem fisicamente, por diferenças na cor da pele, ignoram que o sangue de brancos e negros tem a mesma cor; pessoas que se odeiam por diferenças morais enquanto Jesus Cristo apresenta nos apresenta outro parâmetro de conduta; pessoas que se apoiam no anonimato de suas identidades, usando capuzes para esconderem seus rostos, ignoram que Deus vê o oculto. Isso é a ausência de si mesmo!

Tal acontecimento me lembrou belíssimas passagens evangélicas que nos mostram como Jesus vê nossas diferenças. Em Lucas, capítulo 7, 47, quando Ele entra na casa de Simão e uma prostituta lava-Lhe os pés com lágrimas, enxuga-os com seus cabelos e os unge com bálsamo, Jesus mostra a tolerância divina, perdoando-a: “Por isso te digo que os seus muitos pecados lhe são perdoados, porque muito amou; mas aquele a quem pouco é perdoado pouco ama”. Ou ainda quando Ele perdoa uma mulher apanhada em adultério, em João 8, 10 e 11, e diante de palavras agitadas da multidão, abaixa-Se e escreve no chão, para depois pronunciar a sentença da tolerância divina: “… mulher, onde estão eles? Ninguém a condenou? Ninguém, Senhor”, disse ela. Declarou Jesus: “Eu também não a condeno. Agora vá e abandone sua vida de pecado”.

A palavra intolerância vem do latim INTOLERANTIA, e significa impaciência, incapacidade de aguentar (de IN, negativo; mais TOLERANS, aquele que aguenta). Intolerância é não conseguir ou não suportar aguentar o que está no outro. A psicanálise ensina que agredimos no outro o que ocultamos em nós! Peçamos a Deus, Pai de Amor, que nos ensine, por Seu Espírito, a entendermos esse mundo para que possamos ajudá-lo! Que sua semana seja cheia de tolerância e de paz!

 

Pela Fé! – Dom Pedro Paulo Teixeira Roque – Bispo Coadjutor de Jundiaí, SP – ICAB. e-mail: dompedropaulo@uol.com.br    –    tel. 19 – 9.9996-0607